Tags

Azevedo Lima vai captar pele humana para transplantes

8 de maio de 2017

Há cerca de 15 dias, o estado do Rio de Janeiro foi capacitado pelo Ministério da Saúde para captação de pele humana para transplante. Este procedimento oferece aos pacientes uma chance de sobrevivência nas primeiras semanas de cuidado. O transplante de pele é utilizado em cirurgias plásticas para tratamento de queimados e enxertos em geral. 
A pele é retirada em camadas finas e processada de uma forma especial, dentro do banco de tecidos, para ser armazenada e compatível com qualquer pessoa. A pele transplantada é temporária, apenas para servir de curativo. Após a esperada rejeição, ela descama e o tecido em cicatrização, por baixo dela, estará melhor do que se não tivesse sido usado o transplante. A pele pode ficar armazenada por até dois anos no banco de peles.
O Azevedo Lima está em 5º lugar em número de captação de órgãos no Programa Estadual de Transplantes (PET). Sempre que existe uma situação de morte encefálica, nossa equipe faz a notificação obrigatória ao PET e inicia o contato com a família em busca da autorização para captação dos órgãos. Logo nossas equipes iniciarão o processo para captação de pele, contribuindo, ainda mais, para salvar ou melhorar a qualidade de diversas vidas.  
(Esta nota utilizou informações colhidas no site do PET)

Compartilhar

Assine Nossa Newsletter

Receba as últimas novidades em seu e-mail

Esse site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições da nossa Política de Privacidade.

Aceito