Tags

Escutar e apoiar: Azevedo Lima oferece espaço para pais de bebês na UTI

13 de novembro de 2019

Por Olenka Lasevitch

Desde a primeira semana de novembro, a equipe multiprofissional da UTI  Neonatal do Azevedo Lima está promovendo uma roda de conversa com pais de recém-nascidos internados na unidade. O objetivo é oferecer um espaço para acolher, escutar, tirar dúvidas e proporcionar a troca de experiências entre pais e mães dos bebês que nasceram prematuramente ou com alguma patologia que os impeça de ir logo para casa.

Segundo a coordenadora de enfermagem da UTI Neonatal, Patrícia Azevedo, quando uma mulher engravida, o que a família espera é que a criança nasça sadia, aos nove meses de gestação e vá para casa logo após o parto. Quando nada disso acontece e o bebê precisa ficar internado, há uma quebra no vínculo que deve ser reconstruída de maneira saudável. Para isso a mãe precisa estar forte para ajudar o seu bebê. “Entre outras atividades, temos buscado intensificar o método canguru na unidade, pois apresenta comprovadamente um impacto positivo no desenvolvimento neurológico da criança. Se a mãe não estiver bem, a criança sente e isso não é bom para ela”.

A responsável técnica do setor de Psicologia, Ediléa Oliveira, considera o novo espaço para escuta e acolhimento como um lugar onde os profissionais estarão presentes para tirar dúvidas dos pais e promover o apoio entre todos. “As demandas serão sempre deles”, afirma, lembrando que o objetivo também é que as mães e pais possam apoiar e dar suporte uns aos outros. “É importante que os pais se sintam acolhidos e compartilhem as suas experiências, o que não acontece isoladamente quando trocam informações sobre o bebê com a equipe assistencial à beira do leito. O que estamos propondo com este espaço de escuta é que o foco sejam os pais e suas angústias e implicações causadas pelos diversos fatores estressores sofridos no processo de internação do recém-nascido”.

Para Patrícia Azevedo, este espaço vai funcionar também como uma auditoria do setor. “Nas colocações dos pais poderemos ter informações sobre a nossa atuação do ponto de vista deles, o que nos permitirá aprimorar cada vez mais o  trabalho”. As reuniões para acolhimento e escuta acontecerão sempre às quintas-feiras, às 14 horas na Sala de estudo no 4° andar. 

Compartilhar

Assine Nossa Newsletter

Receba as últimas novidades em seu e-mail

Esse site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições da nossa Política de Privacidade.

Aceito