Tags

União e preparo em tempos de Coronavírus

17 de junho de 2020

Os colaboradores do Azevedo Lima, unidade gerida pelo ISG no Rio de Janeiro, sempre estiveram preparados para atuar nos casos mais desafiadores da área da saúde. O que eles não sabiam, é que estavam preparados também para fatos que ninguém poderia imaginar, como uma pandemia que parou o mundo. 
No início da crise do novo coronavírus, o Azevedo Lima não era hospital de referência para este tipo de atendimento. No entanto, diante da rápida sobrecarga do sistema público, o Hospital começou a receber pacientes com suspeita ou confirmação de contaminação e teve que se reorganizar internamente para oferecer o tratamento desde o início até o desfecho hospitalar do paciente. “Reestruturamos fluxos, processos e atendimento, sempre pensando na segurança de todos e na motivação da equipe diante do medo que essa guerra biológica causou”, conta a coordenadora geral de enfermagem, Mara Coelho.
Mara lembra que o início de maio foi o momento mais delicado, pois os leitos destinados aos pacientes com Covid-19 estavam com 100% de ocupação e havia grande número de colaboradores afastados, sobretudo na enfermagem. “Trabalhamos o tempo inteiro identificando e cercando possíveis fragilidades e, em determinado momento tivemos que ampliar o número de leitos exclusivos para os pacientes com Covid-19, passando de 15 para 44 leitos”.
O diretor técnico do Hospital, Dr. Rogério Casemiro, destaca a preocupação constante com o colaborador. “Seguimos todos os protocolos técnicos do Ministério da Saúde, da Secretaria de Estado de Saúde e do ISG, gestor do Azevedo Lima, e procuramos dar sempre o melhor em equipamentos de proteção, descanso e alimentação, além de ajustarmos a estrutura para acomodar o colaborador da forma mais adequada possível”. 
“As equipes de apoio assistencial, como Reabilitação, Serviço Social e Psicologia  se organizaram para oferecer atendimento e acolhimento aos profissionais da linha de frente”, ressalta a diretora executiva, Claudia Soares, lembrando ainda que o modelo de gestão adotado no Azevedo Lima dá acesso permanente para as equipes à direção do Hospital. 
Durante todo o período de atendimento aos pacientes da Covid-19, a coordenadora geral de enfermagem tem destacado a atuação das lideranças da enfermagem. “Sempre incansáveis, nossas lideranças vestem a camisa, compram a ideia e topam tudo: trabalhar à noite, aos finais de semana e atuar na linha de frente. Nunca tivemos desassistência. Somos um grupo que está junto neste e em todos os momentos”. 
Em junho o Azevedo Lima viu os números de atendimento a pacientes com Covid-19 começarem a cair, como também tem ocorrido em outros hospitais do município. Como permanecemos uma unidade com emergência de portas abertas, os leitos exclusivos para pacientes com Covid foram novamente redimensionados, passando a 25 leitos. “Durante este período, o nosso hospital atendeu mais de 650 pacientes e estamos passando esta primeira onda como um dos mais organizados do estado. A epidemia não terminou, seguimos com pacientes internados na unidade e a postos, caso uma segunda onda exija nova resposta. Agradeço aqui toda dedicação, empenho, compromisso e profissionalismo de todos que compõem o Time HEAL”, finaliza Dr.Casemiro. 
Equipe de coordenadores e supervisores de enfermagem do Azevedo Lima, em foto tirada durante evento realizado antes do início da pandemia

Compartilhar

Assine Nossa Newsletter

Receba as últimas novidades em seu e-mail

Esse site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições da nossa Política de Privacidade.

Aceito
Redimensionar fonte