Tags

Pneumologista do HRLN realiza palestra antitabaco

30 de maio de 2022

Por Gisele Leite

A Comissão de Eventos do HRLN promoveu palestras no último dia 24 de maio para lembrar o Dia Mundial Sem Tabaco que será no próximo dia 31. A data foi criada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) em 1987 para lembrar sobre as doenças e mortes relacionadas ao tabagismo.

A palestrante foi a médica pneumologista, Dra. Joyce Valadão Borges, que iniciou sua fala informando que a Campanha Internacional Antitabagismo 2022 traz o tema “envenenando nosso planeta”, com o intuito de alertar os fumantes sobre os impactos do consumo do cigarro para o meio ambiente.

Durante a palestra, foram citados alguns estudos feitos com pessoas fumantes e não fumantes. Esses estudos demonstraram que parar de fumar aumenta a expectativa de vida em cerca de 10 anos, e que “nunca ter fumado” aumenta ainda mais a qualidade de vida. Foi informado que entre as maiores causas de morte relacionadas ao cigarro estão o câncer, as doenças cardiovasculares, as doenças pulmonares, os incêndios entre outras.

Dra. Joyce também alertou sobre a indústria do tabaco, que trabalha estimulando a manutenção de quem já fuma e incentivando os jovens a começar. “As propagandas são sempre na mesma linha, trazendo imagens de poder, independência e autenticidade. Com a chegada dos cigarros eletrônicos, elas também indicam modernidade e tecnologia, trazendo uma falsa imagem de segurança”, disse.

Outra estratégia de marketing da indústria é vender a ideia de que o cigarro eletrônico seria uma ponte para deixar o vício do cigarro comum, mas os estudos realizados comprovam que não funciona. “Só o calor do cigarro eletrônico já é suficiente para causar diversas lesões e o líquido utilizado tem vários compostos tão nocivos quanto o cigarro comum”.

A palestrante destacou que existem a dependência física, que está ligada às substâncias contidas no cigarro, e a dependência comportamental, que está ligada à rotina que leva ao ato de fumar. “A dependência física é aquela em que a pessoa fuma, o cérebro recebe as substâncias que ativam a produção da dopamina que dá a sensação de prazer, e após cerca de 2 horas, a pessoa precisa sentir novamente a sensação e fuma novamente gerando um ciclo. A comportamental está ligada a atos que funcionam como gatilho para gerar o hábito, como por exemplo, aquelas pessoas que fumam sempre depois de tomar um café”, explicou.

Em Caraguatatuba, o CAPS do Perequê oferece acompanhamento para quem deseja se livrar do vício.

Compartilhar

Assine Nossa Newsletter

Receba as últimas novidades em seu e-mail

Esse site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições da nossa Política de Privacidade.

Aceito
Redimensionar fonte